Páginas

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Bibliotecários participam da cerimônia que homenageou professores doutores da casa, que se destacaram nas suas atividades como educadores

Postado por Aparecida Josefina Panício Caitar
IIzabel Maria de Aguiar
 Maria Aparecida dos Santos Letrari 
Bibliotecárias do Sistema de Bibliotecas da UEL

                Foi realizado no dia 09/11, no Anfiteatro do Centro de Estudos Sociais Aplicados (CESA), a partir das 19h30, a cerimônia que homenageou professores doutores da casa, que se destacaram nas suas atividades como educadores, pesquisadores e precursores nas áreas de atuação, tendo inclusive obtido destaque nacional.
Foram homenageados os professores Carlos Roberto Appoloni, do Departamento de Física e as professoras Asae Sakurada Endo, do Departamento de Bioquímica e Keiko Takashima, do Departamento de Química.


              O título de professor emérito, de acordo com o Regimento Interno da UEL, é concedido apenas a docentes da casa que se destacaram pelas atividade acadêmicas, considerando o ensino, a pesquisa e a extensão. A honraria precisa ser aprovada com maioria de votos pelo Conselho Universitário. A votação no caso deles foi unânime.
             Na ocasião estiveram presentes, a diretora do Sistema de Bibliotecas da UEL, profª. drª. Maria Elisabete Catarino e as bibliotecárias Aparecida Josefina Panício Caitar, Maria Aparecida dos Santos Letrari e Izabel Maria de Aguiar.
 


quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Portal de Periódicos Científicos da Universidade Estadual de Londrina

Postado por Laudicena de Fátima Ribeiro
Bibliotecária do Sistema de Bibliotecas da UEL


O processo de globalização tem como uma de suas características a internacionalização da ciência, no qual se torna, a cada dia, mais visível a facilidade no processamento, difusão e transmissão da informação.
A revolução tecnológica e a rápida disseminação da informação promovem rápidas transformações, em espaço de tempo cada vez menor, e a atividade humana é superada por outra, antes mesmo que se tenha uma reflexão do modelo na construção de um novo conhecimento.
Na busca por este conhecimento, reconstroem-se modelos de acesso livre e irrestrito à informação. O movimento mundial de acesso livre à informação teve início na década de 90, surgindo a partir de premissas como: o aumento do custo das assinaturas das revistas científicas; o pagamento pelas universidades e institutos de pesquisa para terem acesso ao conhecimento cientifico publicado em revistas científicas e a democratização da informação.
Acompanhando este cenário mundial, o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), lançou no Brasil um manifesto de apoio a esse movimento, onde consta uma série de recomendações à comunidade cientifica. A partir desse manifesto várias outras ações foram desenvolvidas, tais como a absorção, tradução, customização, aperfeiçoamento e distribuição de tecnologias para o tratamento e disseminação da informação, que dão suporte às ações de acesso livre, como por exemplo: o Sistema Eletrônic de Editoração de Revistas (SEER), customizado a partir do Open Journal Systems (OJS), software de gerenciamento e publicação de revistas eletrônicas desenvolvido pelo Public Knowledge Project (PKP) da Universidade of British Columbia.
Incutida neste processo, a Universidade Estadual de Londrina, por meio do Sistema de Bibliotecas, iniciou o trabalho de conscientização dos editores de revistas científicas publicadas pela instituição. Com o apoio da Assessoria de Tecnologia da Informação, pode-se instalar o sistema SEER, criando assim, o Portal de Periódicos Científicos da UEL.
Alguns periódicos já nasceram em meio eletrônico, outros foram digitalizados e inseridos no sistema, como é o caso das quatro áreas da Revista Semina (Agrárias, Biológicas, Humanas e Tecnológicas), digitalizada desde seu primeiro número em 1978.
O Sistema de Bibliotecas da UEL é responsável pelo gerenciamento do Portal, além de ofertar treinamentos e apoiar os editores no processo de editoração, normalização, indexação e publicação dos periódicos científicos.
Com a chamada “Era Digital”, o Sistema de Bibliotecas da UEL vem envidando esforços para acompanhar as tendências tecnológicas, oferecendo à comunidade serviços e informações que satisfaçam as necessidades dos usuários.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Selo em comemoração ao Centenário do Nascimento do ator brasileiro Mário Lago (1911-2002).

Enidelci A. Zaquia e Izabel M. de Aguiar
Bibliotecárias da BC
 
No sábado, dia 26/11/11, as bibliotecárias Enidelci A. Zaquia e Izabel M. de Aguiar estiveram representando a Biblioteca Central da UEL, no lançamento do selo em comemoração ao  Centenário do Nascimento do ator brasileiro Mário Lago (1911-2002).
 
Mário Lago Mário Lago  foi ator, compositor, radialista, escritor, poeta, autor teatral, militante sindical e político.
 
Esta cerimônia aconteceu na Biblioteca Pública Municipal de Londrina, e marca o primeiro dia de circulação do selo, acontecendo somente nas cidades do Rio de Janeiro e Londrina, exatamente no dia do aniversário do homenageado
 
A realização deste lançamento em Londrina teve sua base na atividade cultural da cidade, em especial ao teatro. Com esse evento, os Correios buscam homenagear a história do teatro londrinense e também da região, além de ressaltar as atividades da Escola Municipal de Teatro FUNCART, o curso superior em Artes Cênicas da  UEL(Universidade Estadual de Londrina) e o FILO (Festival Internacional de Londrina).
 
Nitis Jacon foi a convidada de honra, além da presença de várias autoridades londrinenses. 
 

Edison Maschio fez a doação de um exemplar autografado para a Biblioteca Central da UEL

Enidelci Zaquia e Izabel Aguiar
Bibliotecárias da BC
 
O jornalista e escritor Edison Maschio, fez o lançamento da 2ª edição de seu livro Escândalos da Província, dia 26/11/11 na Biblioteca Pública Municipal de Londrina, e fez a doação de um exemplar autografado para a Biblioteca Central da UEL. Na ocasião estiveram representando a BC/UEL, as bibliotecárias Enidelci Zaquia e Izabel Aguiar.
 
A obra é considerada o primeiro romance totalmente escrito, ambientado e publicado na cidade de Londrina. Escândalos da Província foi publicado originalmente em 1959. Na época, o livro provocou uma grande polêmica, gerando muitos comentários pela cidade. Isto fez dele um verdadeiro fenômeno editorial: a tiragem de 2 mil exemplares se esgotou em pouco mais de uma semana.
 
Ainda hoje Maschio atua como colaborador na imprensa londrinense. É o mais antigo jornalista em atividade na cidade.
 
Escândalos da Província (1959) foi o primeiro livro publicado por Maschio. Em 1984 ele lançou Raposas do Asfalto, que pode ser considerado como uma continuação de seu primeiro romance. Edison Maschio é também o autor de diversos álbuns históricos sobre a cidade, entre eles Londrina: 60 anos. Em 2010, lançou o livro de memórias intitulado Histórias Ocultas. É membro da Academia Londrinense de Letras, Ciências e Artes de Londrina.

Sistema de Bibliotecas da UEL utiliza CHAT para Atendimento On-line

Neide Maria J. ZANINELLI e Maria Aparecida S. LETRARI
Bibliotecárias da Divisão de Referência/ BC-UEL

O Sistema de Bibliotecas da UEL, pensando em melhorar os serviços e atendimento ao usuário, implantou o sistema de CHAT para atendimento on line. O serviço surgiu da necessidade de se ampliar um canal de comunicação da biblioteca com seus usuários, possibilitando-lhes uma nova forma de acesso aos serviços disponíveis. Assim, este serviço proporciona ao usuário remoto resolver suas dúvidas e solicitações em tempo real com os atendentes.
Esta iniciativa da biblioteca faz parte de uma série de serviços WEB 2.0 que vem sendo planejado desde 2010, desenvolvido e implantado gradativamente, como exemplo:  Blog, Twitter, Flickr (já existentes). Assim, o serviço de referência da biblioteca está se readequando às novas formas de atender as expectativas informacionais de seus usuários, buscando neste “Atendimento Online” garantir um atendimento mais personalizado, com qualidade e agilidade. Acreditamos que o Serviço por meio de CHAT pode ser também um ponto de contato para receber solicitações, sugestões e reclamações.
O sistema escolhido foi o LiveZilla (2010), um software gratuito com interface de atendimento web, e contou com auxilio da ATI (Assessoria de Tecnologia de Informação) da UEL, tanto na escolha do software quanto na implantação do sistema.
Vantagens em ter um CHAT para o atendimento:
Þ   Atendimento em tempo real;
Þ   Contato humano no site via chat com um atendente;
Þ   Visualização se atendentes estão online ou offline;
Þ    Interface amigável
Þ    Sistema permite controle estatístico de atendimentos

Este sistema permite ainda que se utilize alguns recursos administrativos disponíveis no sistema para posterior avaliação do serviço, como:
Þ    Controle de TMA (Tempo médio de atendimento), picos de atendimento;
Þ    Mensagens pré-gravadas para facilitar o contato e evitar desperdício de tempo ao digitar as mesmas frases cada vez que um novo cliente entra em contato;
Þ    Controle de tempo da fila de espera;
Þ    Armazenamento do diálogo que permite consultas, inclusive de chat anônimo;
Þ    Fila de espera por atendentes;
Þ    Possibilidade de transferência de atendimento entre operadores

O serviço está disponível na página inicial do Sistema de Bibliotecas da UEL (www.uel.br/bc), e funciona das 8h às 22h, de segunda a sexta-feira, e aos sábados das 8h às 16h30min.
Enfim, a implantação do atendimento online por chat em tempo real é um desafio enriquecedor, pois evidencia uma mudança na postura das bibliotecas, gerando uma nova forma de pensar e de construir a entrevista de referência, ao mesmo tempo em que exige maior capacitação da equipe e estabelece um parâmetro cada vez mais alto de excelência e qualidade do atendimento.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Acervo de Periódicos da Biblioteca Central da Universidade Estadual de Londrina

Postado por Izabel Maria de Aguiar (Bibliotecária da Divisão de Circulação- BC-UEL)
Marcos Antonio de Morais (Técnico de Biblioteca da Divisão de Circulação - BC-UEL)
Marina Aiko Nagai (Auxiliar Administrativo da Divisão de Circulação- BC-UEL)

 “O estudo exige prática” (textos judaicos)

Periódico é uma publicação, normalmente sobre assuntos específicos, editada com determinada regularidade temporal. Essas publicações podem estar formatadas como jornais, revistas, boletins ou mesmo em meio eletrônico, em CD's ou sítios da internet. Para ser considerada um periódico a publicação deve ser impressa com uma certa periodicidade, daí a sua designação, normalmente sendo semanal, quinzenal, mensal, bimestral, semestral ou anual.  
O acervo de periódicos da Biblioteca Central da UEL, está alocado na Divisão de Circulação, a qual é responsável pela informação disponibilizada em periódicos nacionais e internacionais no formato impresso e em multimídia, com informação geral, técnica, científica e especializada, em publicações correntes e não correntes. O acesso é livre para consultas, estudos e pesquisas para toda comunidade interna (docentes, discentes, técnicos) e também para a comunidade externa. 
O acervo de periódicos é constituído por 6.421 títulos e 374.124 fascículos. Está armazenado por áreas do conhecimento que vão desde Generalidades até História. Dentro de cada assunto, os periódicos estão ordenados em ordem alfabética nas estantes, pelos seus respectivos títulos.  
A partir de setembro de 2011, iniciou-se o empréstimo automatizado pelo Sistema Virtua nos periódicos que já apresentam os códigos de barras, pois o acervo de periódicos ainda se encontra em fase de automação. Portanto, no momento existem duas formas de empréstimo: uma manual e outra por meio do Sistema Virtua.  
No acervo de periódicos está armazenada também a coleção de Obras Raras e Especiais da BC. Além de uma ampla área para estudos, conta também com um espaço para leitura dos principais jornais como: Folha de Londrina, Jornal de Londrina, O Estado de S. Paulo, Folha de São Paulo e Gazeta do Povo. 
A quantidade de empréstimo é de 5 (cinco) fascículos para docentes e 3 (três) para funcionários, alunos de graduação e pós-graduação. Para funcionários e alunos de graduação o prazo de empréstimo é de 7 dias, para alunos de pós-graduação 14 dias e para docentes 21 dias.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Educação de Usuários: uma ferramenta que ajuda

Postado por Natali Silvana Zwaretch e Maria Aparecida dos Santos Letrari
Bibliotecárias da Divisão de Referência da BC-UEL.

Buscando otimizar a recuperação dos recursos informacionais e a independência dos usuários na busca da informação, a Divisão de Referência da Biblioteca Central da Universidade Estadual de Londrina faz da educação de usuários uma prática diária. Neste sentido são oferecidos alguns serviços, tais como: treinamentos de calouros, visitas orientadas, treinamento para acesso ao portal de periódicos da CAPES, orientação bibliográfica, normalização de trabalhos acadêmicos, entre outros.
O objetivo principal da Divisão é a orientação e a capacitação dos usuários quanto ao espaço físico e ao uso da biblioteca e serviços oferecidos, para que o usuário usufrua eficientemente dos recursos disponíveis.
Número de usuários treinados durante o ano de 2010:
· MODALIDADE
N. Turmas
N. Alunos
Orientação bibliográfica/normalização
27
626
Treinamento portal da CAPES
63
804
Treinamento de calouros/visitantes
60
790
Orientação individual - catálogo online
-
10.000
TOTAL
150
12.220

   
 Fonte: Relatório de Atividades da Divisão de Referência - 2011.

Dentre os treinamentos destaca-se o treinamento para acesso ao Portal de Periódicos da Capes. O portal é uma ferramenta que permite identificar, nos resultados de pesquisa, os documentos disponíveis, cujos textos possuem o selo CAPES-BR.
O portal de periódicos tem como missão promover o fortalecimento dos programas de pós-graduação no Brasil por meio da democratização do acesso online à informação científica internacional de alto nível.
As ações promovidas pela Capes por meio do portal de periódicos visam atender os seguintes objetivos:

· a promoção do acesso irrestrito do conteúdo do portal de periódicos pelos usuários e o compartilhamento das pesquisas brasileiras em nível internacional;
· a capacitação do público usuário – professores, pesquisadores, alunos e funcionários – na utilização do acervo para suas atividades de ensino, pesquisa e extensão;
· o desenvolvimento e a diversificação do conteúdo do portal pela aquisição de novos títulos, bases de dados e outros tipos de documentos, tendo em vista os interesses da comunidade acadêmica brasileira;
· a ampliação do número de instituições usuárias do portal de periódicos, segundo os critérios de excelência acadêmica e de pesquisa definidos pela Capes e pelo Ministério da Educação.

Treinar os usuários no uso do portal é importante, pois cria novas possibilidades de divulgar, para a comunidade acadêmica da UEL, os recursos para pesquisa disponíveis. O portal conta com um acervo de mais de 29 mil títulos com texto completo, 130 bases referenciais, nove bases dedicadas exclusivamente a patentes, além de livros, enciclopédias, obras de referência, normas técnicas, estatísticas e conteúdo audiovisual.


quarta-feira, 26 de outubro de 2011

DEPREDAÇÃO DE MATERIAIS BIBLIOGRÁFICOS

Postado por Osny Francisco Terciotti - Bibliotecário da Divisão de Circulação da BC-UEL
Profa. Ms. Maria Aparecida Lopes-Docente do Depto. de Ciência da Informação do CECA/UEL, responsável pela Disciplina de Preservação de Documentos.
Colaboradora da Biblioteca Central para questões de preservação de documentos.

          Os acervos são danificados por vários agentes de deterioração, dentre eles a luz, temperatura, umidade, poluição, incêndios, inundações, insetos, roedores e o próprio homem.
            As bibliotecas devem voltar sua atenção para as questões relativas à preservação de suas coleções, procurando conhecer os problemas que afetam as condições de conservação e planejando ações que venham solucionar os problemas detectados, tanto de forma preventiva como curativa.
            Um dos grandes depredadores de acervos é o homem. Danifica os materiais pela falta de cuidados no manuseio e pratica o vandalismo.
            O manuseio incorreto contribui para a desestruturação física dos materiais. O uso de marcadores de páginas confeccionados com papéis ácidos; o uso de clips e grampos metálicos; umedecer o dedo na saliva para virar as páginas; comer enquanto manuseia o livro; apoiar os cotovelos sobre o livro aberto durante a leitura, são algumas das ações que contribuem para a degradação dos documentos.
              O vandalismo inclui todos os atos que atentam contra o patrimônio, sendo o mais comum as mutilações dos materiais bibliográficos.
               Os atos de vandalismo prejudicam os próprios usuários, na medida em que as obras são retiradas de circulação para reparos, pois são eles que mais se beneficiam com as informações contidas nos documentos.
                O prejuízo financeiro nas instituições também é evidente, pois poucos são os recursos destinados à recuperação das obras danificadas e reposição daquelas sem condições de recuperação.   
                Diante do grande número de obras danificadas, as bibliotecas buscam alternativas como os sistemas de segurança eletrônicos, as catracas, os guarda-volumes, os sistemas de vigilância internos, as grades nas janelas, tudo isso visando minimizar a ação dos vândalos. Campanhas de conscientização sobre a importância do patrimônio cultural, bem como a orientação quanto ao manuseio correto, auxiliam na manutenção dos materiais bibliográficos em bom estado de conservação.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

SEMANA NACIONAL DO LIVRO E DA BIBLIOTECA: ampliando canais de comunicação - 24 a 27 de outubro de 2011

Postado por Neide Maria Jardinette Zaninelli
Bibliotecária Coordenadora do Evento


A Semana Nacional do Livro e da Biblioteca acontece nas mais variadas partes do território nacional. Visa incentivar a leitura e estimular a construção do conhecimento, difundir o livro e divulgar o papel da biblioteca como instrumento de democratização, bem como promover a informação e o acesso a diversas formas de manifestações artísticas e culturais. Além disso, difunde a profissão do bibliotecário e possibilita a atualização e desenvolvimento deste profissional.
O Sistema de Bibliotecas da UEL, para comemorar esta Semana, elaborou uma programação de eventos voltada aos temas ligados à motivação profissional, como - Personal Branding: fortalecendo sua marca profissional, bem como um  tema sobre o novo canal de comunicação do momento: "rede social".

No período de 24 a 31 de Outubro, a exposição “Livros e Autores da UEL”, destacará obras publicadas por docentes e funcionários. Estarão expostas na Biblioteca Central, na Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da saúde, na Biblioteca Setorial do Clínica Odontológica Universitária. Na Biblioteca Setorial do EAAJ a exposição começará hoje, 19/10 dia em que a Biblioteca completa 22 anos. 
Serão ofertados também dois minicursos:
 1- Fotografias: técnicas de preservação e organização de acervos fotográficos
2- Normas da ABNT para trabalhos acadêmicos.

A abertura oficial e os minicursos serão realizados na Biblioteca Central. Já as palestras acontecerão no Auditório do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da UEL.
As inscrições podem ser feitas diretamente na Biblioteca Central ou na Biblioteca Setorial de Ciências Humanas.

Valores com certificado:
 Para as palestras:
 R$15,00 para comunidade UEL e R$ 20,00 para comunidade externa (referente a participação na Semana Nacional do Livro e da Biblioteca, ou seja, para as três palestras).
 Para os minicursos:
 R$ 10,00 para a comunidade UEL  e R$ 15,00 para a comunidade externa.
Vagas limitadas.

Mais informações pelos telefones 3371-4610 (BC) ou 3371-4864 (BS/CH).
          

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Biblioteca Setorial da Clínica Odontológica Universitária - BS/COU

Postado por Márcia Marques Carvalho
Bibliotecária da BS/COU

A Biblioteca Setorial da Clínica Odontológica Universitária (BS/COU) atende a comunidade interna que é composta por discentes e docentes do curso de graduação, 04 cursos de especialização, 01 residência, 01 curso de mestrado, além de funcionários e comunidade externa na área de Odontologia. No cenário nacional a BS/COU é uma das 17 instituições colaboradoras da Rede SIEO (Sistema de Informação Especializado na Área de Odontologia) uma rede que reúne as bibliotecas que atuam como Centros Cooperantes do Sistema de Informação Especializado em Odontologia, da Rede Brasileira de Informação em Saúde (BIREME). Essa Rede é coordenada pelo Serviço de Documentação Odontológica (SDO) da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FO-USP). A profa. Ms. Maria Luiza Hiromi Iwakura Kasai, do Departamento de Medicina Oral e Odontologia Infantil é a representante da UEL. O SIEO oferece os seguintes benefícios para a área de odontologia: maior visibilidade da coleção, dos artigos publicados e dos autores; elaboração de análises bibliométricas; reunião dos títulos nacionais de revistas científicas no mesmo espaço virtual; facilidade de acesso a artigos científicos nacionais e internacionais; integração da área por meio da participação de revistas de odontologia de outros países. A BS/COU tem como atribuições, na Rede SIEO, indexar para Base BBO (Bibliografia Brasileira de Odontologia); atender solicitações do SCAD (Serviço Cooperativo de Acesso a Documentos) e auxiliar na manutenção do Diretório de Eventos da BVS Odontologia Brasil, o qual tem como objetivo reunir, armazenar, disponibilizar e divulgar informações referenciais que permitam ao usuário localizar eventos de interesse na área de Odontologia.

Contato
Fone:  (43) 3371-6764

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Saúde - BS/CCS


Postado por Vilma Aparecida Feliciano de Jesuz e Dirce Missae Suzuki
Bibliotecárias da BS/CCS


A Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Saúde (BS/CCS), com o objetivo de melhorar a qualidade do atendimento, se preocupa em oferecer novos serviços, melhorar o espaço físico da biblioteca e, principalmente, interagir com unidades administrativas do CCS, colegiados dos cursos, departamentos, Comissão de Residência Médica e Hospital Universitário. Esta interação propicia um contato direto com os alunos, docentes, funcionários e demais usuários da comunidade. Além disso, torna o Hospital Universitário parceiro da biblioteca, possibilitando a proposta de projetos, como por exemplo o “Projeto Leitura no Hospital” desenvolvido pela BS/CCS, Ambulatório do Hospital de Clínicas (AHC) e HU.
A equipe de servidores da BS (bibliotecários, técnicos e operacionais) tem um papel fundamental, não somente para o desenvolvimentos das atividades técnicas, mas também, inclusive, como facilitadora de novos projetos e parcerias.

Contato:
e-mail: biblioteca@uel.br
Fone: (43) 3371-2308


sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Biblioteca Setorial do Escritório de Aplicação de Assuntos Jurídicos - BSEAAJ

Postado por  Eliane M. S. Jovanovich e Ângela Maria Dalla Torre
(Bibliotecárias da BSEAAJ)

A Biblioteca Setorial do Escritório de Aplicação de Assuntos Jurídicos – BSEAAJ,  é uma biblioteca especializada em Direito inserida no Escritório de Aplicação de Assuntos Jurídicos – EAAJ .É visível que uma biblioteca inserida nesse contexto atua em duas vertentes: atendendo aos alunos nas suas necessidades informacionais para sanar dúvidas acadêmicas e aos professores/advogados, e aos futuros advogados na busca por informações que venham subsidiar suas decisões processuais em fluxo. Essas informações devem ser atualizadas e de credibilidade para que sirvam de argumento para as causas atendidas no Escritório.
Na BSEAAJ o acervo bibliográfico é voltado para a área de assuntos jurídicos, principalmente nas especialidades civil, penal e trabalhista, áreas nas quais o Escritório atua. A biblioteca possui livros, periódicos, um repositório oficial autorizado de jurisprudência e ainda conta com uma vasta quantidade de informações digitais, disponíveis em portais e sites, por exemplo CAPES e SCIELO. Muitas são as fontes doutrinárias, legislativas e jusrisprudenciais: LEXML; sites do Planalto; do Senado; a RVBI  conhecida como rede Rubi; site LIZ, para legislação municipal, que disponibiliza leis municipais no âmbito nacional; site INTERLEGIS para legislação estadual. Também é uma ótima opção o site do STJ; BDJUR, entre outros.
Manter contato com grupos de Bibliotecários Especializados, como o GIDJSP  e o GIDJRJ, e fazer parte de listas de discussões como INFOLEGIS, é uma prática eficaz para estar sempre atualizado.
O bibliotecário jurídico deve estar atento, pois as informações jurídicas se alteram a todo momento, por isso deve procurar  fazer as leituras atentamente, "selecionar os atos normativos publicados nos Diários Oficiais da Justiça, do Estado e da União, e divulgar aos usuários no mesmo dia da publicação, antecipando-se à demanda" Loureiro (2005, p.4). A mesma autora retrata muito bem isso:

O bibliotecário jurídico deverá arrojar sua atuação profissional buscando incrementos, primeiramente, no estudo do Direito. De posse da compreensão dos conceitos jurídicos e de suas inter-relações ele poderá desenvolver com maior habilidade os serviços de sua competência, e trafegar entre os especialistas da área interagindo em prol da criação de novos conhecimentos.

Na  transferência das informações jurídicas, bibliotecários e usuários compartilham a mesma responsabilidade, o que leva a um pacto de confiança entre ambos (Loureiro, 2005). O bibliotecário deve saber onde buscar as informações necessárias, verificar a competência de cada órgão, por isso é essencial que o bibliotecário jurídico e toda sua equipe estejam sempre se atualizando, saibam utilizar as novas tecnologias a seu favor, saibam selecionar informações de interesse, vasculhar a internet a procura de informações que sejam atuais, confiáveis e precisas, pois desta forma serão um aliado para os advogados.

Contatos:
Fones: (43) 3323-5387 - (43) 3324-6352 ramal 27 .

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Biblioteca Setorial de Ciências Humanas - BSCH

Postado por Solange Gara Portello
(Bibliotecária encarregada da BSCH)


A Biblioteca Setorial de Ciências Humanas (BSCH) faz parte do Sistema de Bibliotecas da Universidade Estadual de Londrina e como tal tem a missão de

Promover o acesso, a recuperação e a transferência da informação para toda a comunidade universitária, de forma atualizada, ágil e qualificada, visando contribuir para a formação profissional do cidadão, colaborando, dessa forma, no desenvolvimento científico, tecnológico e cultural da sociedade como um todo.

Está localizada estrategicamente entre os Centros de Estudos das áreas de humanas e sociais aplicadas (CCH, CECA, CESA e CEF) no campus da UEL. Disponibiliza um acervo de aproximadamente 83.000 volumes de livros (além de outros materiais de informação) para a comunidade universitária, com o objetivo de suprir suas necessidades informacionais.

A BSCH, tendo como foco essa missão, se coloca não somente como propagadora da informação impressa e digital, mas também como campo de desenvolvimento de trabalho para diversos cursos da universidade, oferecendo-lhes seu espaço para pesquisas no âmbito das relações humanas, no desenvolvimento de atividades essenciais para a formação do profissional, bem como procura promover atividades culturais e sociais, com o intuito de sociabilizar e ajudar na construção do conhecimento de cada indivíduo.

Esta biblioteca setorial atende de segunda a sexta-feira. das 7h30min às 22h30min e aos sábados das 8h às 17h. Em período de férias e feriados, atende em horário diferenciado.

Contatos:
fones: (43) 3371-4864 - Empréstimo; (43) 3371-4865 e (43) 3371-4866 – Administração.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Nova diretoria da CBBU tem como suplente da Região Sul a diretora do Sistema de Bibliotecas da Universidade Estadual de Londrina-UEL



Postado por Maria Aparecida dos Santos Letrari
(bibliotecária da Divisão de Referência)



A Nova Diretoria da Comissão Brasileira de Bibliotecas Universitárias - CBBU foi eleita no dia 09 de agosto de 2011, em assembléia realizada na cidade de Maceió, durante XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação - CBBD.
A Diretora do Sistema de Bibliotecas da UEL, Profa. Dra. Maria Elisabete Catarino, representada na assembléia pela bibliotecária Maria Aparecida dos Santos Letrari, foi eleita como suplente da Região Sul I (Santa Catarina e Paraná). 
Composição da nova diretoria:
Presidente: Luiz Atilio Vicentini - UNICAMP
Vice Presidente: Valéria Maria Soledade de Almeida - UFG
Diretora de Finanças: Viviane Carrion Castanho - UFRGS
Diretora de Planejamento e Marketing: Narcisa de Fátima Amboni - UFSC
Secretária: Rosa Maria Vivona Bertolini Oliveira - PUC-Campinas
 Região Sul I  (Santa Catarina e Paraná)
 Titular: Lucia Marengo - Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
 Suplente: Maria Elisabete Catarino - Universidade Estadual de Londrina - UEL
             O presidente eleito apresentou os novos integrantes da comissão e declarou que nessa gestão pretende buscar o fortalecimento das bibliotecas universitárias brasileiras, visando maior integração e empreendedorismo.
Para concretizar esse princípio de gestão, foram estabelecidas várias ações, inclusive propostas junto aos órgãos governamentais (estaduais e federais) e associações brasileiras ligadas ao ensino superior, tais como: a) criação de um programa nacional de remodelação e expansão das bibliotecas universitárias; b) formulação ou adequação de políticas públicas em relação às bibliotecas universitárias, visando melhoria constante de produtos e serviços oferecidos às comunidades acadêmicas; c) dar continuidade à publicação da Revista Informação e Universidade, com a adoção de critérios exigidos para a indexação e visibilidade em bases de dados internacionais; d) buscar e disseminar ferramentas inovadoras de gestão para as bibliotecas universitárias.


quinta-feira, 18 de agosto de 2011

O Sistema de Bibliotecas da UEL e a Inclusão Social

O Sistema de Bibliotecas da UEL, preocupado com a inclusão social,  e visando adequar-se às legislações existentes de acessibilidade, está empenhado em buscar parcerias e meios que propiciem tornar as bibliotecas mais acessíveis para pessoas portadoras de necessidades especiais.
Dia 15/08/11 o Sistema de Bibliotecas recebeu, por meio do Núcleo de  Acessibilidade da UEL, o software Virtual Vision, doado pelo Banco Santander.
Ainda não existe uma demanda formalizada, porém, temos que ser pró-ativos e diante desse cenário cada biblioteca integrante do Sistema terá um computador com o software instalado.
A Biblioteca Central possui em seu acervo  uma coleção especial que conta com 221 títulos em Braille, livros falados e livros para cegos, nas diversas áreas do conhecimento.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Bibliotecários do SB/UEL apresentam trabalhos no XXIV CBBD

Durante o  XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação - CBBD que aconteceu em Maceió, vários trabalhos foram apresentados. A Bibliotecária Ilza Almeida de Andrade da BC apresentou o trabalho entitulado "Mapas conceituais: uma ferramenta tecnológica aplicada a organização da informação e do conhecimento. A bibliotecária Eliane M. S. Jovanovich da BSEAAJ apresentou o trabalho entitulado "O Decreto n.5296, de 2 de dezembro de 2004 e a acessibilidade nas bibliotecas universitárias: o caso do Sistema de Bibliotecas da Universidade Estadual de Londrina.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

XXIV CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO

quinta-feira, 21 de julho de 2011

TEMPO DE CORDEL

Postado por Izabel Maria de Aguiar
(Bibliotecária, coordenadora da Comissão de Literatura de Cordel do SB-UEL)

O QUE É CORDEL

Literatura de cordel é o nome atribuído a pequenos romances em versos. Possui esta denominação devido à forma como eram comercializados: pendurados em cordões. Chegou ao Brasil através dos colonizadores portugueses e popularizou-se no nordeste, onde adquiriu características próprias enquanto escrita, sobre assuntos variados e com temáticas baseadas na cultura popular.
Acredita-se que os primeiros cordéis brasileiros começaram a ser publicados no final do século XIX.
Os folhetos têm a função de entreter, utilizando temas como lendas, biografias, cangaceirismo, histórias de amor, ou levar seus leitores a fazerem reflexões sobre questões importantes como a política brasileira, a injustiça social, o abuso do poder, entre outros. Outra função importante, talvez a mais comum, é a informativa; neste caso, os cordelistas dedicam-se a escrever sobre acontecimentos de grande repercussão. Podemos citar como exemplo a morte de personalidades, desastres, a seca, reviravoltas políticas, entre outros. “A literatura de cordel é exatamente isso – cultura popular. Os versos estão sempre relatando acontecimentos, fatos políticos, artísticos, lendários, folclóricos ou pitorescos da vida como ela realmente é.” (PONTES, M. P., 2011)


CORDEL NA BC


Os folhetos de cordel normalmente são feitos de papel jornal, tamanho sulfite, e dobrados em tamanho de bolso, o que facilita o extravio. Eles são frágeis para manuseio contínuo e exigem cuidados especiais antes de disponibilizá-los para consulta.
A Biblioteca Central possui uma coleção de literatura de cordel contendo aproximadamente 4.000 títulos. Esta coleção foi organizada em 1993, por processo manual, utilizando-se de fichas catalográficas para recuperação dos dados por autor, título e ciclo. Com o crescimento da coleção e o avanço da tecnologia, os dados foram inseridos em uma Base de Dados em Microisis desenvolvida para essa finalidade.
Neste mesmo ano foi lançado o primeiro catálogo impresso com a descrição da coleção, sendo possível recuperar as referências por autor (es), título(s), e/ou ciclo(s). Em 1997, foi lançado o segundo catálogo impresso, com a reunião de toda a coleção, seguindo o mesmo padrão da edição anterior. Em 2001, com o patrocínio da Fundação Araucária, toda a coleção de folhetos de cordel da Biblioteca Central foi disponibilizada em um CD-ROM (capas e referências).
Em 2003 foi criado um GRUPO DE PESQUISA em Literatura de Cordel, composto por uma equipe multidisciplinar do qual participam bibliotecários, professores dos departamentos de Ciências Sociais, de Artes, bem como de alunos de diversos cursos da UEL. Com o Grupo de Pesquisa deu-se início ao projeto: "TEMPO DE CORDEL: OS FOLHETOS DA BC; PESQUISA, EXTENSÃO, ORGANIZAÇÃO E DIVULGAÇÃO”, coordenado pela Profª. Drª. Raimunda de Brito Batista (Departamento de Ciências Sociais da UEL). (BATISTA, R. B., 2009)
A efetivação do Grupo de Pesquisa tem ocorrido por ininterruptas reuniões semanais dos pesquisadores envolvidos, visando a discussão de estratégias de estudo, pesquisa, catalogação, preservação, oficinas de cordel e xilogravuras, exposições e de uso da linguagem do Cordel. O acervo de cordel da BC/UEL é utilizado como principal fonte de pesquisa. Como resultado de trabalho, o Grupo de Pesquisa já desenvolveu Projetos de Iniciação Científica; Exposições e Oficinas sobre cordel; o Programa “Tempo de Cordel” com declamações de versos de cordel, na rádio FM/UEL; apresentações de trabalhos em eventos da área e a criação do blog Tempo de Cordel.
Em 2008, foi oficializado o GRUPO DE TRABALHO composto por alguns funcionários da Biblioteca Central, para prosseguir os trabalhos já iniciados com os folhetos de cordel.

Pretende-se com este trabalho divulgar recursos que viabilizem a preservação e disseminação desta literatura, por meio de arquivos digitalizados; democratizar a informação através de mecanismos que facilitem o acesso à coleção de cordel como um instrumento de leitura e pesquisa; contribuir para o reconhecimento da diversidade cultural brasileira; estimular o desenvolvimento da pesquisa e o registro da cultura popular no país, além de servir como tripé de uma instituição universitária: ensino, pesquisa e extensão.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Open Access: Esperanças se renovam no Brasil

Estamos postando mais um texto sobre o Acesso Livre. Trata-se de uma mensagem já postada num blog que merece toda a nossa atenção e apoio.
Hélio Kuramoto postou mais uma notícia sobre o movimento Open Access (OA). Nesta oportunidade ele considera que as esperanças para o OA no Brasil estão renovadas, pois o senador Rodrigo Rollemberg apresentou, em 05/07/2011, um novo projeto de mandato aderente à via Verde do OA.

O projeto PLS 387/2011 tem a seguinte ementa: "Obriga as instituições de educação superior de caráter público, bem com as unidades de pesquisa a construir repositórios institucionais de acesso livre, nos quais deverão ser depositados o inteiro teor da produção técnico-científica conclusiva dos estudantes aprovados em cursos de mestrado, doutorado, pós-doutorado ou similar, assim como da produção técnico-científica, resultado de pesquisa científicas realizadas por professores, pesquisadores e colaboradores, apoiados com recursos públicos para acesso livre na rede mundial de computadores; entende-se por produção técnico-científica monografias, teses, dissertações e artigos publicados em revistas, nacionais e internacionais, com revisão por pares".

Esta notícia, além de renovar as esperanças para a Via Verde do OA no Brasil, serve de alerta para todas as universidades, inclusive as bibliotecas universitárias, que têm sido, na maioria dos casos, as gestoras dos Repositórios Institucionais das instituições de ensino superior.

Visitem o blog de Hélio Kuramoto para mais informações a respeito.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Doações recebidas pelo SB/UEL


Postado por Gisele H. S. Silva e Aparecida P. Caitar
(bibliotecárias da Divisão de Desenvolvimento de Coleções)

Um dos objetivos do Sistema de Bibliotecas da UEL (SB/UEL) é adquirir material de informação, visando oferecer aos cursos da instituição o suporte informacional necessário. Para isso, utiliza-se dos processos de compra, doação e permuta, além de desenvolver projetos com o objetivo de buscar recursos externos junto a agências de fomento.
As doações representam uma fatia considerável e de grande importância na atualização do acervo.  Elas podem ser espontâneas, isto é, acontecerem sem pedido prévio, ou podem ser solicitadas, ou seja, por meio de pedidos formais para editoras, livrarias, embaixadas, universidades, órgãos governamentais, associações profissionais e sociedades científicas, ou qualquer outra instituição que edite ou distribua obras de interesse do usuário.
No ano de 2010, o SB/UEL recebeu 7.495 volumes de livros, sendo que 6.959 deles (92%) foram selecionados para compor o acervo. Desse total, 1.341 volumes de livros foram de doações recebidas dos cursos Lato e Stricto Sensu, as quais destacamos, pois a participação tem sido cada vez mais frequente.
 Outro destaque que damos também são as doações de particulares. Nessa modalidade citamos a doação recebida do advogado graduado pela UEL em 2008, Dr. Tiago Octaviani, atualmente trabalhando na assessoria jurídica da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) / Advocacia-Geral da União (AGU) em Brasília, que em visita à UEL doou 11 novos títulos para nossa biblioteca. Na oportunidade, disse ter escolhido uma coletânea atualizada de obras jurídicas de alta qualidade, pensando em beneficiar a Instituição onde se formou e pela qual tem um carinho especial. Segundo o doador, esta foi a maneira que encontrou para retratar sua gratidão à nossa universidade. Atitudes como a de Tiago Octaviani deveriam ser mais comuns nas instituições.


segunda-feira, 13 de junho de 2011

O SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UEL E A ACESSIBILIDADE

Postado por Eliane Jovanovich
(bibliotecária, coordenadora da comissão de acessibilidade do SB/UEL)

A atual administração do SB/UEL instituiu vários grupos e comissões de trabalho, visando a qualidade nos serviços prestados à comunidade, bem como, o atendimento aos quesitos de autorização e reconhecimento de cursos. Um dos grupos trata da questão de acessibilidade, legislada pelo Decreto nº 5.296 de 02 de dezembro de 2004 e pela Portaria nº 1.679 de 02 de dezembro de 1999 do MEC, as quais dispõem sobre a exigência de requisitos de acessibilidade para pessoas portadoras de deficiências vinculando-os ao processo de autorizações e reconhecimentos de cursos.
A comissão de Acessibilidade, composta por 11 servidores, iniciou suas tarefas com um diagnóstico das bibliotecas pertencentes ao sistema. Pode-se observar que algumas ações já foram realizadas, tais como: readequação da estrutura física, construção de rampas, sinalização, aquisição de móveis adaptados, equipamentos de tecnologia assistiva, entre outras.
Dentre os resultados dos trabalhos da comissão pode-se destacar a participação da coordenadora do NAC (Núcleo de Acessibilidade da Universidade Estadual de Londrina), a psicóloga Ingrid Caroline de Oliveira Ausec, na Comissão de Acessibilidade do SB. Por meio deste trabalho conjunto está sendo efetuado um levantamento dos usuários potenciais e reais da UEL, portadores de necessidades especiais; bem como a identificação de suas necessidades para a efetiva readequação da estrutura da UEL.
Esta parceria também propiciou a participação da coordenadora da Comissão de Acessibilidade do SB como colaboradora na Coordenação da Sala de Recursos de Acessibilidade do NAC. A ideia é criar espaços comuns para a inclusão dos portadores de necessidades especiais.
a proposta não é criar espaços e ambientes separados, para uso exclusivo das pessoas portadoras de deficiências, o que seria uma outra forma de discriminação, e sim, pensar sistemas e ambientes que possam ser utilizados por todos. (MAZZONI et al.,  2001, p.30)
A parceria com o NAC só vem somar visto que o núcleo trabalha com profissionais multidisciplinares dispostos a buscar e conhecer essa comunidade especial. Todas as bibliotecas do SB/UEL estão sendo remodeladas na medida do possível, com equipamentos, readequações de mobiliários, inclusive uma das propostas é sinalizar as bibliotecas do SB em Braille e em Libras.
Em conjunto com o NAC serão ministrados cursos de Libras para os funcionários de atendimento de cada biblioteca, contribuindo para a qualidade do atendimento. O mais importante deste trabalho em conjunto é verificar que é possível modificar para tornar as bibliotecas do SB/UEL realmente acessíveis, acabando com barreiras, inclusive as barreiras atitudinais.