Páginas

segunda-feira, 24 de junho de 2013

A IMPORTÂNCIA DOS DADOS ESTATÍSTICOS COMO INDICADOR DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO SB/UEL

Erika Lima
Bibliotecária - Divisão de Circulação
Juliana D. Amaro Cardoso
Técnica de Biblioteca - Divisão de Circulação

A coleta de dados estatísticos tem por objetivo divulgar os dados numéricos dos serviços prestados pelo Sistema de Bibliotecas da UEL, servindo como base para a distribuição de recursos financeiros para aquisição de materiais bibliográficos e fornecer dados às publicações oficiais da Universidade.
Os dados estatísticos são imprescindíveis no processo de avaliação de coleções que, segundo Barcelos e Gomes (2013) deve-se procurar adquirir obras da bibliografia básica recomendada pelos professores, por indicações da Comissão de Biblioteca, pela demanda de usuários e também na interpretação das estatísticas de uso da biblioteca.
É pertinente ao Setor de Circulação da Biblioteca Central da UEL –BC/UEL, fazer a coleta e o acompanhamento destes procedimentos, verificando se os mesmos estão sendo feitos de acordo com as normas e manuais de serviços internos.
Os dados numéricos são coletados, seguindo o Manual de Estatísticas da Divisão de Circulação, da seguinte forma: consulta de livros e periódicos; frequência e atendimento de usuários, empréstimo de materiais de informação e serviços de restauração e pequenos reparos.
As estatísticas são feitas mensalmente por cada uma das bibliotecas pertencentes ao Sistema de Bibliotecas da UEL. Os dados são enviados à Divisão de Circulação para serem inseridos em quadros específicos e posteriormente enviados à secretaria da BC até o dia 10 de cada mês para posterior encaminhamento a Pró-Reitoria de Planejamento (PROPLAN). Os demais dados estatísticos coletados constam no relatório anual da Divisão de Circulação.
Para controle e avaliação desses resultados são imprescindíveis os relatórios estatísticos mensais, que oferecem dados para o relatório anual das atividades. Este é o melhor índice para julgar a eficiência e a utilidade da biblioteca e um grande auxílio para: seleção de obras (aponta as mais consultadas), a identificação dos horários mais frequentados e a verificação de diminuição ou crescimento de frequência.
A análise dos relatórios seja mensal, anual, ou de projetos específicos, possibilita a avaliação dos objetivos estabelecidos, tornando possível detectar eventuais desvios e efetuar as correções necessárias.


Referência: 


BARCELOS, Maria Elisa Americano do Sul; GOMES, Maria Lúcia Barcelos Martins.  Preparando sua biblioteca para avaliação do MEC.  Disponível em: <http://repositorio.cfb.org.br/bitstream/123456789/495/1/PREPARANDO%20SUA%20BIBLIOTECA%20PARA%20AVALIA%C3%87%C3%83O%20DO%20MEC.pdf> Acesso em: 16 maio 2013.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

A QUESTÃO DO PLÁGIO

Postado pela Profa. Richele G. Vignoli
Mestranda em Ciência da Informação
Depto Ciência da Informação - UEL

·           O QUE É CITAR?
“Transcrever, referir ou mencionar como autoridade [...]” (HOUAISS; VILLAR,  2001, p. 712).

·           O ATO DE CITAR REPRESENTA...
ü      Credibilidade;
ü      Confiabilidade;
ü      Honestidade;
ü      Comprovação;
ü      Embasamento teórico;
ü      Profissionalismo;
ü      Ética e
ü      Respeito.

·           PARA A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (2002, p. 01), CITAÇÃO É:
“Menção de uma informação extraída de outra fonte.”

·           O QUE É PLÁGIO?
Segundo Houaiss e Villar (2001) é:
1.      Ato ou efeito de plagiar;
2.      Apresentação feita por alguém, como de sua própria autoria, de trabalho, de obra intelectual produzido por outra pessoa;
3.      Imitar, copiar, tomar posse.

·           PLAGIÁRIO
ü      Indivíduo que comete plágio.

·           O CRIME DO PLÁGIO
O ato de plagiar é crime no Brasil e no mundo;
Quem comete plágio está cometendo ato de roubo, furto, apropriação indevida, e é considerado como CRIMINOSO.


·           TIPOS DE PLÁGIO
v     PLÁGIO PARCIAL
Para Nery et al. (201[?]) é a cópia idêntica de trechos, frases, parágrafos, partes, páginas, sem creditar o autor, sem citá-lo.

v     PLÁGIO MESMO CITANDO
Para Nery et a.l (201[?]), ocorre quando o aluno/pesquisador substitui palavras ou trechos do autor. Assim, o aluno/pesquisador dá crédito ao autor, mas o texto citado é diferente do original.

v     PLÁGIO MESMO CITANDO
Para o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) – (2012, grifo nosso) existem algumas formas de plágio, como por exemplo:

Fabricação ou invenção de dados - consiste na apresentação de dados ou resultados inverídicos.”

E também:

Falsificação: consiste na manipulação fraudulenta de resultados obtidos de forma a alterar-lhes o significado, sua interpretação ou mesmo sua confiabilidade. Cabe também nessa definição a apresentação de resultados reais como se tivessem sido obtidos em condições diversas daquelas efetivamente utilizadas. (CNPQ, 2012, grifo nosso).

v     PLÁGIO CONCEITUAL
Para Nery et al. (201?] é a cópia da ideia, do pensamento do autor sem citá-lo.
Ocorre quando o aluno/pesquisador se baseia no autor, mas ao escrever com as suas próprias palavras, conclui que a autoria passa a ser sua e não mais do autor.

v     AUTOPLÁGIO
Para o CNPQ (2012) “Consiste na apresentação total ou parcial de textos já publicados pelo mesmo autor, sem as devidas referências aos trabalhos anteriores.”
Assim, o autor cita o que já escreveu anteriormente e age como se o texto fosse inédito.

·           LEGISLAÇÃO BRASILEIRA

·           LEI DE DIREITO AUTORAL - 9.610/1998

Art. 1º
“Esta Lei regula os direitos autorais, entendendo-se sob esta denominação os direitos de autor e os que lhes são conexos.”

Art. 7º
“Define as obras intelectuais que são protegidas por lei: considerando como obras intelectuais ‘as criações do espírito, expressas por qualquer meio ou fixadas em qualquer suporte, tangível ou intangível, conhecido ou que se invente no futuro.’”

·           CÓDIGO CIVIL
Art. 524
“[   ] a lei assegura ao proprietário o direito de usar, gozar e dispor de seus bens, e de reavê-los do poder de quem quer que, injustamente, os possua.”

·           CÓDIGO PENAL
Art. 184
“Violar direitos do autor e os que lhe são conexos.”

Pena – detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, ou multa.

Art. 299
Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar, ou nele inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, com o fim de prejudicar direito, criar obrigação ou alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante.

Pena - reclusão, de um a cinco anos, e multa, se o documento é público, e reclusão de um a três anos, e multa, se o documento é particular.

·           REGIMENTO GERAL DA UEL (2012)
Seção II Corpo Discente
Art. 181. O corpo discente está sujeito às seguintes sanções:
I. advertência;
II. repreensão;
III. suspensão;
IV. exclusão.

A repreensão aplicar-se-á nos casos de:

Art. 183
III. improbidade ou colaboração fraudulenta na execução de obrigações e trabalhos acadêmicos (UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA, 2012).



REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT).  NBR 10520: 2002: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002.

BRASIL. Código civil [1976]. São Paulo: Saraiva, 1997.

BRASIL. Código penal. São Paulo: Fundação Dorina Nowill para Cegos, 1997. 

BRASIL. Lei de Direito Autoral nº.  9.610 de 19.02.1998. Altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências. Congresso Nacional Brasileiro: Brasília, 1998. 

CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO (CNPQ).  Ética e integridade na prática científica. Disponível em: http://www.cnpq.br/normas/lei_po_085_11.htm#relatorio>. Acesso em: 02  mar. 2013.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. de S. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

NERY, G.  et al. Nem tudo que parece é: entenda o que é plágio. Niterói – RJ: Universidade Federal Fluminense (UFF), 201[ ?]. Disponível em: <http://www.noticias.uff.br/arquivos/cartilha-sobre-plagio-academico.pdf>. Acesso em: 27 mar. 2013.


UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA (UEL). Regimento geral da UEL. Disponível em: <http://www.uel.br/proplan/oem/Regimento_Geral_Atualizado_2011_05_23.pdf>. Acesso em: 28. mar. 2013.

terça-feira, 4 de junho de 2013

DOCENTE FRANCESA VISITA O ACERVO DE LITERATURA DE CORDEL DA BIBLIOTECA CENTRAL DA UEL.

Postado por
Izabel Maria de Aguiar
Bibliotecária
Divisão de Circulação do Sistema de Bibliotecas da UEL.
Juliana Amaro Cardoso
Técnica de Biblioteca
 Divisão de Circulação do Sistema de Bibliotecas da UEL.

A professora Anne-Marie Lemos, da Universidade de Poitiers de Letras e  Línguas, na França, visitou a Universidade Estadual de Londrina (UEL) no  dia 09/05/2013. Ela esteve na UEL por intermédio de convênio entre as duas universidades e aproveitou para conhecer o acervo de folhetos de Literatura de Cordel da Biblioteca Central da UEL.
Nascida em Portugal, mas vivendo na França, Anne-Marie é professora de Língua e Cultura Portuguesa e Brasileira em Poitiers. Anne-Marie esteve acompanhada da professora Raimunda de Brito Batista, pesquisadora de Literatura de Cordel, do Departamento de Ciências Sociais (CCH), do professor José Júlio Nunes Ferreira, coordenador do projeto de Literatura de Cordel do Departamento de Ciências Sociais e da bibliotecária Izabel Maria de Aguiar.
Na Biblioteca Central, ela foi recebida pela diretora do Sistema de Bibliotecas, professora Maria Elisabete Catarino, e aproveitou para conhecer o acervo de  aproximadamente sete mil exemplares de Folhetos de Cordel da BC e também  conversar com os estagiários do projeto. Depois da visita à BC, Anne-Marie visitou a Rádio FM/UEL, onde concedeu uma entrevista para a jornalista Patrícia Zanin, que foi veiculada no programa Modos de Vida - Comportamento e Cultura, e pode ser ouvida pelo link: http://www.uel.br/uelfm/arquivo.php?id=10760.
No final da tarde, em visita à reitora Profa. Dra. Nádina Aparecida Moreno, a professora Anne-Marie discutiu a possibilidade de aprofundar ainda mais a relação entre as duas instituições. O assessor de Relações Internacionais da UEL, Manuel Simões, informou que a UEL vem defendendo a destinação de recursos próprios para proporcionar a mobilidade de estudantes da área de Humanas. As solicitações já foram encaminhadas à Fundação Araucária, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI) e Ministério da Educação.

OBSERVAÇÃO: O acervo de Literatura de Cordel da BC está todo microfilmado, digitalizado e pode ser consultado através do Sistema Gerenciador de Biblioteca Virtua. Para isso, basta acessar o catálogo da Biblioteca no site: http://virtua.uel.br:8000/cgi-bin/gw/chameleon, e fazer a  pesquisa pelo autor, título ou assunto. Em virtude dos direitos autorais, a Biblioteca disponibiliza em seu site apenas as referências dos folhetos e não o folheto na integra, mesmo estando com toda a coleção digitalizada.